Pular para o conteúdo
Início » Quanto ganha um Comissário de Bordo atualmente?

Quanto ganha um Comissário de Bordo atualmente?

  • por
quanto ganha um comissário de bordo
Anúncios

Confira neste artigo quanto ganha um comissário de bordo! Os comissários de bordo ou comissários de bordo são profissionais cuja função primordial é zelar pela segurança, tranquilidade e conforto dos passageiros transportados por via aérea, bem como dos demais tripulantes.

Um diploma universitário não é necessário para trabalhar como comissário de bordo, mas treinamento especializado e exames são necessários.

Além de sorrir e servir os passageiros, os comissários de bordo são um fator importante na segurança de uma aeronave e na segurança de todos a bordo. Basicamente, as funções de um comissário de bordo incluem garantir a segurança, o conforto e a tranquilidade dos passageiros e da tripulação.

Quanto ganha um Comissário de Bordo?

Anúncios

Os ganhos e o salário comissário de bordo dependem de vários fatores, como o tamanho da companhia aérea, seu nível de experiência, bem como o tipo de voo (seja Nacional ou Internacional) e a classe que atendem (que inclui econômica, executiva ou primeira classe).

De acordo com o Sindicato Nacional dos Aeronautas, os comissários de bordo recebem, no mínimo, R$ 1.742 como salário mínimo. Já os comissários de bordo de táxi aéreo têm direito a um salário mínimo de R$ 1.352. Considerando qualquer remuneração adicional, o salário-base de um comissário de bordo doméstico gira em torno de R$ 3.500.

Quanto ganha um Comissário de Bordo da Emirates?

O salário de um Comissário/Comissária de Bordo da Emirates varia dependendo do cargo e experiência do profissional. Em média, o salário base é de AED 9.770 (aproximadamente R$ 14.000) por mês. 

Quanto ganha um Comissário de Bordo internacional?

Em média, o salário base é de AED 9.770 (aproximadamente R$ 14.000) por mês. Mesmo valor pago pela empresa citada acima. 

Quanto ganha um Comissário de Bordo da Azul?

O salários na empresa Azul Linhas Aéreas, a média salarial nacional para um Comissário/Comissária de Bordo é de R$ 4.239 por mês. 

Quanto ganha um Comissário de Bordo TAM?

A média salarial nacional para um Comissário/Comissária de Bordo na LATAM Airlines é de R$ 6.394 por mês .

Quantos voos um Comissário faz por dia?

A quantidade de voos que um Comissário/Comissária de Bordo faz por dia pode variar dependendo de vários fatores, como a rota, a duração dos voos, o tipo de aeronave e o horário de trabalho. Em geral, um Comissário/Comissária de Bordo pode fazer de 1 a 3 voos por dia, em média, dependendo da empresa aérea e das condições de trabalho.

Vale ressaltar que a regulamentação da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) limita o tempo que um comissário pode trabalhar em uma jornada de trabalho e garante os intervalos e descansos necessários para garantir a segurança dos passageiros e da tripulação

É difícil conseguir emprego?

O mercado para a profissão de Comissário/Comissária de Bordo pode ser bastante competitivo, especialmente em empresas aéreas de renome e com grande demanda de voos. No entanto, existem oportunidades em outras empresas menores, além de empresas de aviação executiva e empresas de táxi aéreo. Portanto, pode ser difícil conseguir emprego como comissário(a) de bordo em algumas empresas específicas, mas não é impossível em outras.

Além disso, investir em qualificação, como cursos de idiomas e treinamentos especializados, pode aumentar as chances de conseguir uma vaga na área.  Estar ciente de que a concorrência e o processo de seleção são rigorosos, mas com dedicação e habilidades adequadas é possível ter sucesso na carreira de Comissário de Bordo

Precisa falar inglês para ser comissário de bordo?

É importante ressaltar que existem algumas empresas de aviação que exigem que seus Comissários/Comissárias de Bordo possuam pelo menos um nível básico ou intermediário de conhecimento em língua inglesa. No entanto, há outras empresas de menor porte que não fazem essa exigência como obrigatória, embora saber inglês possa ser um diferencial na hora de concorrer a uma vaga.

Saber inglês pode ser essencial durante as operações de voo em que a língua é universalmente utilizada para comunicações, atendimento aos passageiros, treinamentos e segurança. Então, embora não seja uma exigência padrão, saber inglês pode ser uma habilidade importante para quem está buscando seguir carreira como Comissário/Comissária de Bordo.

Tem que ser bonito para ser comissário de bordo?

Não, ser bonito ou ter uma aparência específica não é um requisito oficial para se tornar Comissário/Comissária de Bordo. A seleção para essa profissão envolve uma série de critérios, que podem incluir habilidades comunicativas, conhecimentos em segurança aérea, experiência anterior em atendimento ao cliente e capacidade de trabalhar em equipe, entre outros.

No entanto, alguns mitos e estereótipos sobre a aparência física dos Comissários/Comissárias de Bordo existem, mas não fazem parte dos critérios oficiais de seleção das empresas. Lembrar sempre que a aparência pessoal, como o cabelo, a maquiagem, entre outros, questionam-se de acordo com as políticas internas da empresa. O mais importante é ter habilidades e qualificações necessárias para exercer as funções da profissão, independentemente da aparência física. 

Quem tem tatuagem pode ser comissário de bordo?

É possível ser um Comissário/Comissária de Bordo mesmo com tatuagens visíveis, no entanto, a política de cada empresa aérea pode variar. Algumas empresas podem ter políticas mais restritivas em relação à aparência de seus funcionários, e isso pode incluir a proibição de tatuagem visível ou restritas a determinadas áreas do corpo.

No entanto, existem empresas de aviação que permitem tatuagens, desde que não considerem ofensivas ou prejudiciais à imagem da empresa. É importante verificar as políticas da empresa antes de se candidatar a uma posição como Comissário/Comissária de Bordo e estar ciente de que a política pode mudar ao longo do tempo.

Quem tem filho pode ser comissário de bordo?

Sim, ter filho não impede alguém de ser um Comissário/Comissária de Bordo, desde que a pessoa seja capaz de cumprir com os horários e turnos de trabalho exigidos pela empresa aérea.

No entanto, é importante lembrar que a rotina de trabalho de um Comissário/Comissária de Bordo pode envolver longos períodos fora de casa e viagens frequentes, o que pode ser desafiador para aqueles que têm filhos pequenos. Cada pessoa deve considerar cuidadosamente as demandas do trabalho e a compatibilidade com a vida familiar antes de decidir seguir carreira como Comissário/Comissária de Bordo.

Como ser Comissário de Bordo?

Para saber como ser comissário de bordo, é necessário ter pelo menos 18 anos de idade, possuir ensino médio completo e concluir com êxito um programa de treinamento de comissário/acompanhante de bordo em uma escola de aviação aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) do Brasil. O programa de treinamento pode incluir módulos sobre segurança de voo, primeiros socorros, sobrevivência em emergências aéreas, gerenciamento de comidas e bebidas, entre outros assuntos relevantes para a profissão.

Depois de concluir o programa de treinamento, é necessário passar em um exame qualificatório para obter um certificado válido para trabalhar como Comissário/Comissária de Bordo. Lembre-se de que cada empresa pode ter requisitos adicionais, portanto é importante verificar as políticas de recrutamento e seleção da empresa à qual você pretende se candidatar.

Além disso, uma vez contratado, o trabalho de um Comissário/Comissária de Bordo pode envolver longas horas de trabalho e viagens frequentes, e pode exigir flexibilidade e compromisso com horários irregulares, incluindo horas noturnas e fins de semana.

Qual o custo de um curso?

O comissário de bordo curso, pode variar dependendo da escola de aviação e do tipo de curso escolhido (presencial ou online, por exemplo). De acordo com a pesquisa que realizei, os valores podem variar entre R$ 800 a R$ 2.980, podendo haver outras taxas e despesas adicionais, como exames médicos e material didático. 

Quantos meses dura um curso?

A duração de um curso de Comissário varia dependendo da escola de aviação e do tipo de curso escolhido. Geralmente, o curso tem duração entre quatro e seis meses, incluindo aulas teóricas e práticas. No entanto, a duração pode ser maior em alguns casos, dependendo da carga horária exigida pela escola e pelas regulamentações da ANAC.

Qual o valor da prova da ANAC?

Segundo informações disponíveis, a taxa para fazer a prova da ANAC para Comissário é de aproximadamente R$ 300,00. No entanto, é importante verificar com a ANAC ou com a escola de aviação os valores atualizados, pois eles podem mudar sem aviso prévio. É também importante lembrar que essa taxa não inclui o valor do curso de formação, que pode ter um custo adicional.

Qual é a diferença entre comissário de bordo e aeromoça?

Os termos “comissário de bordo” e “aeromoça” são utilizados como sinônimos para se denominar os membros da tripulação de cabine de uma aeronave, contudo existe uma diferença entre eles, muito sutil. Geralmente, o termo “aeromoça” era usado para denominar especificamente as mulheres que trabalham nessa função.

E o termo era usado para se denominar os homens e as mulheres que trabalhavam nessa função. Contudo, com a evolução dos padrões de igualdade de gênero e diversidade, o termo “comissário de bordo” passou a ser mais utilizado para abarcar todos os profissionais desse setor, independente do gênero e quanto ganha um comissário de bordo é um valor igual para ambos.

Como é a vida de um comissário de bordo?

A rotina de um comissário é dinâmica e repleta de desafios. 

Isso significa, que a profissão exige dedicação, flexibilidade e responsabilidade, visto que os comissários são os profissionais responsáveis pela segurança, conforto e bem-estar e dos passageiros durante os voos. Além disso, os comissários de bordo normalmente atuam em regime de escala, o que pode abarcar voos diurnos, noturnos, voos internacionais e de longa duração. 

E suas tarefas principais abrange fazer demonstrações de segurança, prestar primeiros socorros, servir refeições e bebidas, assegurar a limpeza e a organização da cabine, solucionar conflitos entre passageiros, entre outras responsabilidades. Como também, assegurar a segurança a bordo, os comissários também têm um papel essencial em situações de emergência, como evacuações de aeronaves, procedimentos de evacuação de emergência e combate a incêndios. 

Sendo assim, eles passam por um treinamento rigoroso para lidar com diferentes situações, o que contribui para tornar a profissão exigente e desafiadora. Mesmo com as dificuldades inerentes à profissão, ser comissário fornece a possibilidade de viajar para diferentes destinos, conhecer culturas novas e quanto ganha um comissário de bordo, é um valor bem atrativo. Por fim, esse aspecto atrativo pode ser uma das motivações principais para as pessoas que escolhem seguir essa carreira.

Como é a folga de um comissário de bordo?

A folga é essencial para que eles possam descansar e se recuperar das jornadas de trabalho mais intensas.  Devido à natureza do trabalho, os comissários de bordo normalmente têm escalas de trabalho irregulares e podem passar longos períodos fora de casa. Desse modo, as folgas são planejadas conforme as regulamentações de trabalho e o tempo que o comissário passou em serviço durante um período de tempo específico. 

Isso é essencial para assegurar que eles estejam descansados e em condições apropriadas de saúde para os voos seguintes. Durante suas folgas, os comissários possuem a oportunidade de retornar para suas casas e passar tempo com suas famílias e amigos. Contudo, é essencial mencionar que, em diferentes situações, as escalas de trabalho podem ser imprevisíveis, e o resultado são mudanças nas folgas planejadas.

Ademais, a folga também é uma possibilidade para os comissários de bordo aproveitarem para descansar, se envolver em atividades que lhes interessem e se divertir. Diversos comissários usam esse tempo para viajar ou se dedicar a hobbies e interesses pessoais. Por fim, as folgas são importantes para assegurar o descanso apropriado e a saúde mental dos comissários, possibilitando continuar a exercer sua função com segurança e eficiência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *